Tráfico ameaça e rouba provedores de telecomunicações para forçar moradores a usar o serviço do crime na Zona Leste

A criminalidade na Zona Leste de São Pedro da Aldeia segue sem uma resposta eficaz do poder público. Dessa vez, o alvo é provedores de telecomunicações que estão tendo seus equipamentos roubados e funcionários ameaçados nos bairros Colina, São João, Parque Estoril, Baixo Grande e Campo Redondo. O tráfico está impedindo técnicos de entrarem para realizar as instalações e os reparos necessários além de roubar os equipamentos. Os criminosos, segundo funcionários ameaçados, dizem ter um provedor próprio e que os moradores devem, se quiserem ter o serviço, pagar ao provedor do tráfico.

A Sumicity, uma das empresas que fornece o serviço na região e que tem sede na cidade de Carmo, alega que o prejuízo decorrente já é de mais de 400 mil reais em equipamentos. Segundo denúncia, os furtos são praticados diariamente sem serem incomodados pelas forças de segurança pública. A empresa afirma ter tido uma grande perda na última quinta-feria (20/09) no bairro Baixo Grande, onde mais de 20 caixas de atendimento óptico, um material caro de alta tecnologia, foram furtados.

Segundo a denúncia, o provedor do tráfico fica entre os bairros Colina e São João. Eles teriam arrancado todas as caixas de distribuição do Parque Estoril e agora agem no Campo Redondo. Pode ocorrer efeito cascata motivado pela impunidade pois já há boatos que criminosos de outros bairros como Balneário e Rua do Fogo, pensam em fazer o mesmo.

Sem segurança pública não existe condições de avanços econômicos e São Pedro da Aldeia está sendo vítima da violência fora de controle que assola o país. Não há segurança de promover investimentos e gerar emprego se o que é investido é roubado. Isso pode impactar negativamente o já escasso investimento privado no município como um todo.

A assessoria do 25º BPM informou que já se reuniu com a Sumicity na última semana para saber maiores detalhes da denúncia  e garantiu que o caso será investigado pelo serviço reservado. O Diário Aldeense entrou em contato com a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro que nos informou que já está sob verificação.

Créditos ao Diário Aldeense

Postar um comentário

0 Comentários