Iguaba Grande adere à CPI da Prolagos na Alerj que investiga danos à Laguna Araruama



O prefeito de Iguaba Grande, Vantoil Martins, confirmou nesta quarta-feira (19) que o município vai integrar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) que apura a ocorrência de danos ambientais e o derramamento de resíduos químicos na Laguna de Araruama por parte da Prolagos, concessionária responsável pela coleta e tratamento de esgoto nas cidades da Região dos Lagos. A ação foi instalada na Alerj no último dia 11 de fevereiro, e é presidida pelo deputado estadual Dr. Serginho (PSL), que esteve hoje em Iguaba.

Na reunião, que também contou com a presença do procurador geral do município, Peter Samerson, e do subsecretário de Governo, Luciano Silva, o prefeito Vantoil Martins entregou ao deputado um ofício onde solicita a inclusão de Iguaba Grande na CPI. “A Laguna não é apenas nosso maior cartão postal. É, também, nossa maior esperança para reaquecermos a economia de nossa cidade, e precisa se recuperada urgentemente. Por isso pedimos para participar desta CPI, porque temos todo o interesse em ver o fim do despejo de esgoto na Laguna”, explicou o prefeito.

Já o deputado Dr Serginho disse ter ficado feliz com o ingresso de Iguaba Grande no processo. “Que o município seja exemplo para as cidades vizinhas, porque o objetivo desta CPI é apontar erros no contrato de concessão da Prolagos, constatar que há um crime ambiental, verificar responsabilidades e apresentar soluções para que a gente consiga acabar com esse derramamento de esgoto na laguna de Araruama”, explicou o deputado.

Além de integrar a CPI da Alerj, o governo de Iguaba Grande também vem buscando outras formas de melhorar a qualidade da água da Laguna. Em janeiro o prefeito esteve com o secretário estadual do Ambiente, Altineu Cortes, para discutir assuntos relacionados à recuperação do corpo hídrico. A reunião foi convocada pelo Consórcio Intermunicipal Lagos São João (CILSJ), que anunciou que Iguaba Grande será beneficiada com a construção de um cinturão. O processo de licitação já está em andamento e deve ser concluído nas próximas semanas. Orçado em pouco mais de R$ 1 milhão, o projeto será totalmente executado com recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos, beneficiando 100% da população iguabense. E o melhor: sem nenhum custo para o governo municipal, nem mesmo para moradores.

Créditos à Ascom PMIG

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem