Programa "Cozinha Brasil" inicia segunda semana de palestras e oficinas


Nesta terça-feira (11/09), o Programa “Cozinha Brasil” iniciou a segunda semana de palestras e oficinas de Educação Alimentar em São Pedro da Aldeia. A programação gratuita é destinada ao público em geral e tem como objetivo promover uma alimentação saudável e o consumo consciente, seguro e sustentável. Cerca de 40 pessoas participaram do primeiro dia de atividades e puderam esclarecer dúvidas sobre nutrição e rotulagem de alimentos, além de degustar receitas à base de ingredientes naturais e integrais. A iniciativa é fruto de uma parceria entre a Prefeitura aldeense e o Sistema Firjan SESI. As oficinas e palestras seguem até esta quinta-feira (13/09), nos períodos da manhã e tarde, no Horto Escola Artesanal. As inscrições seguem abertas no local.

Prestigiando as atividades do dia, o secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Dimas Tadeu, enalteceu o conteúdo programático da segunda etapa do “Cozinha Brasil”. “Nesta segunda etapa, abrimos turmas para o público em geral. No primeiro dia, tivemos a presença de alunos do Programa ‘Jovem Aprendiz’, moradores e até pessoas de outros municípios, e já temos a confirmação da participação de alunos da rede estadual e grupos de formação de professores. O objetivo é estimular a educação alimentar para que as pessoas possam colocar esse conhecimento em prática dentro de casa e começar a ser multiplicadores desse processo. A questão da rotulagem dos alimentos é muito importante, principalmente para o público que têm algum tipo de restrição alimentar entender o que está escrito no rótulo e saber o que está comendo, o que faz bem à saúde e o que pode trazer danos. Muitas vezes, ficamos acomodados pela facilidade de ter um produto industrializado, mas deixamos de lado aquilo que o nosso corpo necessita para ter saúde”, ressaltou.

Com enfoque na rotulagem nutricional, as palestras do período da manhã abordaram temas como a classificação dos alimentos conforme preconizado pelo Guia Alimentar para a População Brasileira, a importância da verificação da lista de ingredientes e das informações nutricionais disponíveis nos rótulos. Utilizando o método comparativo, a nutricionista Priscila Senra demonstrou as formas de apresentação das propriedades nutricionais particulares inscritas nas embalagens de produtos alimentícios, como macarrão, cereal matinal e biscoitos de diferentes marcas, e quais elementos priorizar na hora de fazer a escolha de um alimento, com base na verificação de dados como valor energético, proporções de carboidratos, proteínas, aditivos químicos, fibras alimentares, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras trans, açúcar e sódio. A rotulagem dos alimentos embalados é obrigatória e está regulamentada pela legislação brasileira por meio de órgãos como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), vinculada ao Ministério da Saúde.

Responsável por ministrar as palestras e oficinas, a nutricionista Priscila Senra falou sobre a proposta da programação. “O objetivo em trazer essas palestras é ensinar as pessoas a lerem os rótulos, conhecerem os termos descritos nas tabelas nutricionais, poderem comparar e serem capazes de analisar, por conta própria, qual alimento devem diminuir, substituir ou até aumentar o consumo, evitando sempre os alimentos ultraprocessados. Recomendamos muito as pessoas não trocarem uma refeição completa, como um almoço e um jantar, por um lanche, que podem conter gordura hidrogenada, quantidade de sódio exagerado, corantes e outros aditivos críticos à saúde. Com isso, nós incentivamos as pessoas a terem um pouco mais de consciência daquilo que elas estão utilizando no seu dia a dia. Muitas vezes, acrescentar mais frutas, verduras e legumes nas refeições pode dar mais trabalho, mas os benefícios e o ganho nutricional são muito maiores”, ressaltou.

Após a palestra, os participantes também tiveram a oportunidade de degustar a receita do bolo de laranja com casca, preparada pelo cozinheiro do Programa, Reginaldo Lima. Já no período da tarde, a oficina de Educação Alimentar abordou a promoção de uma alimentação saudável como estratégia para a melhoria da qualidade de vida e redução do risco de doenças crônicas, o incentivo à prática de receitas mais naturais, com foco no aproveitamento integral dos alimentos e redução do desperdício, exibição de vídeos, dicas para o planejamento de cardápio, informações acerca do valor nutricional dos alimentos, dentre outros temas. Na ocasião, também houve degustação de pratos preparados a partir de ingredientes simples, práticos, nutritivos e de baixo custo, como o pastel assado de talos, à base de talos de vegetais, bolo de casca de banana e suco de inhame com hortelã e limão. Ao final das atividades, os participantes receberam material impresso com todas as receitas apresentadas em aula.

Uma das participantes da palestra de rotulagem nutricional, a moradora do bairro Fluminense, Célia Regina, se mostrou satisfeita com a experiência. “Achei muito interessante, foi uma oportunidade de aprendizado muito grande. Pude tirar dúvidas e muita coisa que foi apresentada foi uma novidade para mim, como a leitura dos rótulos, que até então era uma coisa que nunca me chamou tanta atenção, eu tinha um olhar muito superficial. Fiquei assustada principalmente com a quantidade de sal que consumimos muitas vezes por não saber compreender os termos técnicos da tabela. Então, foi excelente para mim e, como foi dito na aula, a qualidade do nosso futuro depende do que fazemos hoje. A minha preocupação é em me alimentar melhor e de forma saudável, saber como fazer as substituições e com isso evitar doenças como a obesidade. Não só para mim, mas para toda a minha família. Pretendo levar esse conhecimento adiante, para dentro de casa e no meu ambiente trabalho, para que outras pessoas também possam ter mais saúde e qualidade de vida. Agradeço à Prefeitura por essa oportunidade e que oficinas como essa possam acontecer mais vezes”, disse a cabeleireira.

Créditos à Ascom PMSPA

Postar um comentário

0 Comentários