Ministério Público deflagra operação contra o tráfico em São Pedro da Aldeia

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 3ª Promotoria de Justiça de São Pedro da Aldeia, deflagrou, nesta quinta-feira (06/09), operação para o cumprimento de mandados de prisão e busca e apreensão contra 14 acusados pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção de menores e resistência qualificada, na cidade da Região dos Lagos. Foram efetuadas nove prisões e houve apreensão de pen drives, anotações do tráfico, pequenas quantidades de drogas e celulares, inclusive no presídio onde um dos denunciados estava.. A denúncia foi apresentada no dia 15 de agosto, e os mandado foram executados por agentes do Grupo de Apoio aos Promotores da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), com apoio de policiais do 25º BPM.

Também solicitou o MPRJ, na mesma denúncia, feita com base no Inquérito Policial nº 125-02718/2017, a decretação do sequestro dos bens móveis apreendidos ao longo de toda a operação, assim como dos ativos existentes nas contas bancárias vinculadas aos CPFs de todos os denunciados. E, por fim, requereu a suspensão das atividades do ‘Bar da Fátima’, também conhecido como ‘Esquina’s Bar’, localizado na Rua Nicolas Peregrino, Praia Linda. O ponto comercial é conhecido local de reunião de usuários de drogas e venda de entorpecentes, o que justifica sua interdição imediata.

A denúncia relata episódios como o ocorrido na madrugada de 1º de dezembro de 2017, na Rodovia Via Lagos, quando alguns dos acusados foram flagrados enquanto transportavam, para fins de tráfico, 1,15 kg de maconha, acondicionado em forma de um tablete envolto em filme plástico do tipo PVC, e 2,15 kg de cocaína, acondicionados em 5.340 unidades individuais de tubos plásticos. Na ocasião, os agentes criminosos, com apoio de menor infrator, efetuaram diversos disparos de arma de fogo contra policiais militares, em violento ato de resistência, impedindo que os mesmos efetuassem as devidas prisões.

Assim, reforça o MPRJ que as prisões preventivas dos 14 denunciados são essenciais para salvaguardar a ordem pública, a instrução processual e a aplicação da lei penal, uma vez que, ao longo das investigações, confirmou-se a existência de sólida associação entre os mesmos, voltada para o comércio de drogas, e ligada à facção criminosa Comando Vermelho. Além da Praia Linda, tal prática era cometida também nos bairros Balneário e Rua do Fogo, da mesma cidade de São Pedro da Aldeia, com a ocorrência de constantes confrontos com facção criminosa rival e a prática de crimes de homicídios.

Créditos ao MPRJ

Postar um comentário

0 Comentários