Cursos de artesanato têm aula inaugural em São Pedro da Aldeia


Foram realizadas, nesta semana, as aulas inaugurais dos cursos gratuitos de artesanato em São Pedro da Aldeia. Cerca de 30 alunas, distribuídas em quatro turmas, estão inscritas nos cursos de Crochê Básico e Arte em Feltro, oferecidos no Horto Escola Artesanal. Na oportunidade, as participantes tiveram o primeiro contato com algumas peças de vestuário e de decoração produzidas a partir das técnicas artesanais, conheceram algumas dicas e principais estratégias de marketing para o desenvolvimento do negócio e realizaram as primeiras tarefas práticas. A iniciativa é uma realização da Prefeitura aldeense, por meio da Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda.

No primeiro dia de aula, as alunas foram apresentadas às respectivas artes e puderam conhecer os aspectos históricos, a importância cultural, seus avanços e formas de utilização desde a origem até os dias atuais. As alunas também receberam instruções acerca da assiduidade, esclareceram dúvidas, conheceram de perto alguns produtos já finalizados, que também servirão como modelo e inspiração para futuros trabalhos, e deram início a confecção de uma peça. Na ocasião, as instrutoras também forneceram algumas dicas para quem quer empreender, passando por temas como o investimento em divulgação e em estratégias de promoção e gestão de um negócio com enfoque na geração de renda extra.

Instrutora do curso de Arte em Feltro, a artesã Eliane Gaspar falou sobre os objetivos gerais da aula inaugural. “Cada aluna recebeu um material de apresentação, onde discutimos o conceito do Feltro, os tipos de linhas, pontos, enchimentos, corte, costura e colagem, as técnicas para fazer moldes e dicas para obter os melhores acabamentos para que a peça fique perfeita. Para isso, precisa de disciplina, paciência e muito treino. Também falamos sobre de que forma elas podem iniciar a divulgação da sua produção, presenteando colegas, amigos, familiares e até mesmo investindo nas redes sociais, que hoje em dia todo mundo tem acesso e com certeza vai dar um retorno para elas. Atividades como essa são muito importantes porque trazem bem-estar, confiança e autoestima para as alunas, além de proporcionar uma renda”, destacou.

Com cerca de um mês de duração e encontros semanais em turnos da manhã e tarde, os cursos abrangem atividades dinâmicas e práticas, com foco em técnicas básicas de modelagem, corte, colagem, costura e acabamento, dentre outras etapas que compõem o processo de confecção. Voltadas para iniciantes, as aulas têm como objetivo promover a aprendizagem das principais técnicas associadas, suas diversas aplicações e a produção final de uma ou mais peças simples ligadas ao vestuário ou à decoração, como tapetes, cestos, toalhas de mesa, artigos de moda infantil e adulta, acessórios, enfeites, chaveiros e lembrancinhas.

Os cursos são ministrados pelas artesãs especialistas Eliane Gaspar e Kátia Carvalho e destinam-se a grupos pequenos, com no máximo 10 pessoas, visando garantir o apoio individualizado. Ao final dos cursos, será realizada uma culminância envolvendo todas as turmas, com exposição de trabalhos e entrega dos certificados.

Moradora do bairro Rua do Fogo há seis anos, Kelly Cristiane dos Santos é uma das alunas inscritas na turma de Arte em Feltro. “Eu admiro muito as peças em feltro, sempre achei muito bonitas e tinha a curiosidade de saber como fazer. Então, eu vi essa oportunidade divulgada pela Prefeitura e decidi me inscrever. Também tenho o objetivo de ganhar uma renda, vendendo as peças e produzindo para festas, por exemplo. Acho muito válido que a Prefeitura esteja oferecendo esse tipo de curso, é admirável e poucas cidades têm isso. Muitas pessoas que não têm uma renda e muitas vezes não têm com quem deixar seus filhos, como é o meu caso, encontram no artesanato uma forma de poder trabalhar em casa e acrescentar na renda da família”, disse.

Instrutora do curso de Crochê Básico, a artesã Kátia Carvalho falou sobre o perfil das alunas atendidas. “Esse era exatamente o perfil de público que estávamos querendo atingir. São mães, donas de casa ou até mesmo trabalhadoras que vêm procurando uma renda ou somente uma ocupação, porque são muitos benefícios para a saúde e para a mente. Essa arte tem uma ligação muito forte com o povo brasileiro, de geração em geração, e vem se modernizando. Hoje temos uma variedade de composições e técnicas com fios de elastano para peças de biquíni, fios rústicos, com barbante, o fio de seda para peças mais refinadas e luxuosas, o crochê dentro da questão da reciclagem com sacola plástica, o fio de aramado na bijuteria, até o maxi crochê que está super em alta. O nosso objetivo é dar para elas a independência de ler um gráfico de crochê e multiplicar essa arte, incentivando também a criatividade”, salientou.

Créditos à Ascom PMSPA

Postar um comentário

0 Comentários