Três pessoas foram presas por PM de férias após saquear casa de pai de militar

Três saqueadores presos após saquerar casa de pai de policial militar.
Três homens foram presos na tarde desta quarta-feira (22), depois de saquearem um sítio no Retiro, entre São Pedro da Aldeia e Cabo Frio. O que os assaltantes não esperavam era que a residência invadida fosse do pai do sargento Garcia, da Patamo Alfa, do 25º Batalhão de Polícia Militar (BPM), que, mesmo de férias, cooperou com os colegas, o que agilizou a operação. Uma TV de 29”, uma roçadeira (aparelho para cortar mato), uma bomba de piscina e duas armas municiadas foram apreendidas

A casa estava sozinha há dias, o que parecia alvo fácil para os suspeitos, que tinham trabalhado na semana passada em uma obra próxima à residência invadida. A porta, de ferro, foi arrombada com uma cavadeira que estava no terreno. O crime teria sido motivado por uma dívida que Marcus Vinícius Oliveira Correa, de 20 anos, e Paulo Sérgio Xavier da Silva, 23, tinham com Antônio Ferreira de Carvalho, 63. Chegou-se a pensar na possibilidade de formação de quadrilha, mas, em pouco tempo, descobriu-se que, para o azar do "Seu Antônio", a prisão dos devedores fez com que o sítio dele fosse averiguado e tcharam: o coroa tinha uma espingarda calibre 12, com duas munições e uma pistola 765. Todos se deram mal, tanto quem devia quanto quem cobrava. O trio vai responder por furto, receptação e porte ilegal de arma de fogo. vai responder por furto, receptação e porte ilegal de arma de fogo.

Armas e munições apreendidas
Informações levantadas pelas Patamos Alfa – sargento Garcia e soldados Pessanha e Souza Filho – e Bravo – sargento Paulo Henrique e soldados Duarte e Valério – levaram ao primeiro suspeito, o Marcus, que, mesmo tentando fugir, foi pego no Guriri. A captura dele levou a outros dois, que foram encontrados em São Pedro da Aldeia.O caso foi registrado na 126ª DP (Cabo Frio).

Operação Cinderela
O primeiro suspeito, que foi abordado no Guriri, bem que tentou, mas não conseguiu fugir. O desespero em não ser alcançado fez com que ele deixasse para trás um pé do chinelo que calçava, tamanho 44/45. Ao encontrar os príncipes militares (PMs), antes de qualquer indagação, a prova cabal: o calçado pertencia ao borralheiro Marcus Vinicius Figueira de Carvalho. O encaixe foi perfeito e a sintonia surreal.

– Correu como um judas, foi pego como uma cinderela – ironizou o sargento Garcia.

Créditos à Diogo Reis. Foto: Diogo Reis.

Postar um comentário

0 Comentários